E o mundo prepara-se para receber pequena Júlia, a conquistadora.




Um cheirinho do que se tem feito...
Acabei de me afogar com o programa desta semana do MEC e do Bruno. Interessantíssimo este facto de nos formármos de outros que não conhecemos. Isto fez-me sentir menos culpada. Fixe.
Descobri que há certa música francesa que me dá arrepios. Not in a cool way. American Horror Story? Maybe...
Eu racionalizo muito. Tanto que já faço de mim uma pequena marionete do meu alter ego (ou ao contrário, ainda/nunca vou saber. Obrigada Ricardo Araújo Pereira.). Quero sentir coisas! Sem descontrair é difícil e só produzo uma quantidade quase ridícula de matéria prima, tenho portanto de a ir buscar a outros lados... toda eu sou falsa. Sou feita de coisas dos outros... sim, somos todos, mas não queria que assim fosse. Da mesma maneira que não me queria censurar.
10 minutos sem ouvir o meu nome. Só peço 10 minutos!
Go Jesus, it´s your birthday!
Estou feliz. Meio abananada que isto são trinta mas estagnei nos 12 ou 13 e ainda me vejo com urtigas no rabo na barragem... mas muito feliz.
Coco é o filme. Que rica maneira de abordar um assunto tão sensível como a morte... tão bonito, tão inteligente... é assim que se faz meus amores! As nossas crianças e futuros adultos agradecem. Eu também.

Comer com o nariz entupido é espetacular. É da maneira que enfardo menos. E faço exercício... pensando bem, de que me estou a queixar?
Nova formadora. Boa pessoa. Fiquei a saber mais dela numa hora do que de alguns membros da minha família. Mas boa pessoa...
Não me interpretem mal, adoro o tempo livre. Não fazer nada é abrir caminho para fazer tudo, mas é um exagero. Os devaneios não estão a ser bem direccionados como é suposto. Invento conversas na minha cabeça que não levam a lado nenhum. Levam?  Bolas... acho que está na altura de me dar espaço...
Venha quem vier, o peito aberto ainda é a melhor política.
Acabei de ver a conversa do Bruno Nogueira com o MEC. E a Gisela. E acho que não gosto de os sentir pessoas normais.
Se calhar não sei de porra nenhuma e os amigos para a vida podem ser mais do que os dedos das mãos e vêem com a maturidade da mudança atual, como estava a dizer a Cocó...

E o mundo prepara-se para receber pequena Júlia, a conquistadora.