quinta-feira, junho 27, 2013

Às vezes damo nos conta das realidades que varremos para debaixo do tapete, do atirar areia para os olhos quando despertamos com um filme intenso, já que a nossa vida real esta tão tapada pelos nossos vícios, pelos nossos prazeres que nao deixam que isto venha até nós de outra maneira a não ser assim, no tal filme intenso fruto do aborrecimento, tédio, ou ócio como aquele que nos leva a puxar de um cigarro. Ventos arrastam poeiras... Embora o lixo continue lá. Debaixo do tapete. Acho que devíamos limpar debaixo do tapete de vez em quando. Enquanto há vontade. Enquanto nos inspiram e nos dizem: "Ei! Tu aí! Que estás a fazer?"...

Sem comentários: